Suíça registra recorde histórico com mais de 10.000 abortos realizados

  • 08/07/2024
Suíça registra recorde histórico com mais de 10.000 abortos realizados
Suíça registra recorde histórico com mais de 10.000 abortos realizados (Foto: Reprodução)

Em 2023, a Suíça registrou um número recorde de interrupções de gestações, segundo dados oficiais divulgados em julho de 2024.

O país da Europa Central contabilizou 12.045 abortos, representando um aumento de mais de 600 casos em relação ao ano anterior. Este é o maior número já registrado na história suíça.

O Departamento Federal de Estatística da Suíça informou que a taxa de abortos em 2023 foi de 7,3 por 1.000 mulheres na faixa etária de 15 a 44 anos. Além disso, 53% das mulheres que optaram pela interrupção da gravidez tinham mais de 30 anos.

Quase a totalidade dos abortos na Suíça em 2023, cerca de 95%, foram realizados dentro do prazo legal das primeiras doze semanas de gestação. Além disso, 77% desses procedimentos ocorreram nas primeiras oito semanas.

Na Suíça, em 2023, oito em cada dez abortos foram realizados por meio de medicamentos, enquanto 19% dos procedimentos foram conduzidos por cirurgia.

A população atual da Suíça é de aproximadamente 8,7 milhões de pessoas, conforme os dados mais recentes de julho de 2024 .

A legislação suíça que permite o aborto, conhecida como "solução do primeiro trimestre", foi instituída em 2002.

Dois partidos cristãos são pró-vida

Os dois partidos de clara orientação cristã representados no parlamento nacional suíço mantêm uma posição pró-vida.

O Evangelical People's Party (EVP), que possui duas cadeiras no Bundeshaus, afirma em seu manifesto: “Deus criou as pessoas à sua própria imagem. É por isso que protegemos e respeitamos a vida humana desde a concepção até a morte”.

A União Democrática Federal (EDU), que também possui duas cadeiras no Bundeshaus, mantém uma postura claramente pró-vida. Em seu posicionamento, afirmam: “A vida é sempre recebida; é um presente de Deus. O estado deve proteger as vidas de seu povo”.

Além disso, a EDU defende que “assistência estatal social, financeira, psicológica e pastoral conforme necessário para gestantes em situação de vulnerabilidade é uma medida eficaz de prevenção contra o aborto”.

A Aliança Evangélica Suíça também expressou apoio claro ao direito à vida dos bebês em gestação e, em decorrência dessa posição, enfrentou ataques violentos por parte de ativistas pró-aborto.

As marchas pela vida na Suíça foram organizadas sob rigorosa proteção policial, devido aos protestos violentos de grupos extremistas nos últimos anos.

FONTE: http://guiame.com.br/gospel/noticias/suica-registra-recorde-historico-com-mais-de-10000-abortos-realizados.html


#Compartilhe

Aplicativos


Locutor no Ar

Peça Sua Música

Anunciantes